fbpx

Covid 19: crianças merecem cuidados especiais

Covid 19: crianças merecem cuidados especiais

Crianças merecem cuidados especiais nessa pandemia, não só no que se refere aos cuidados de saúde, mas também nas informações que recebem.

As informações de especialistas revelam que os idosos e pessoas com comorbidades (essa é a denominação para quando as manifestações de uma doença são similares às de uma outra doença primária) são as maiores vítimas da Covid-19, mesmo assim crianças merecem cuidados especiais nesse período tão crítico que vivemos.

Os pequenos precisam de um olhar atento nessa época de pandemia, não só no que se refere aos cuidados de saúde, mas também nas informações que recebem.

Dar boas informações é o primeiro cuidado com os pequenos

Em primeiro lugar, as crianças precisam saber o que é a Covid-19 e os riscos que correm quando não praticam os cuidados especiais que devem ser tomados nesses novos tempos. 

Explicar como o vírus é perigoso e que as medidas de segurança são importantes para protegê-las, assim como proteger as pessoas que elas amam, são ações essenciais para que elas sejam atuantes na prevenção.

Essa medida também é importante porque elas estão inseridas em um cenário de grandes incertezas e medos dos adultos. Para que tenham mais tranquilidade, a boa informação repassada com delicadeza, é sempre um fator relevante para ajudá-las também nos aspectos emocionais.

É importante ainda que os pais acolham as angústias dos filhos pequenos nesse período, porque assim como os adultos, eles também sentem falta dos amigos, das professoras e até dos passeios que costumavam fazer.

Além disso, não é possível ignorar que já houve casos de morte entre a população infantil tendo a Covid-19 como causa. Como não se conhece realmente o alcance e efeitos da doença, a ação no organismo infantil ainda é um mistério.

Medidas constantes de higiene

A primeira informação que as crianças devem saber é que precisam desenvolver o hábito de praticar as mesmas medidas de higiene que os adultos, especialmente porque é muito mais difícil impedi-las de levar colocar as mãos na boca e nariz, mas vale sempre o alerta.

Muitas vezes, as crianças não têm a mesma noção de higiene que os adultos, mas quando estão informadas sobre o que devem fazer fica mais fácil para elas seguirem certas regras.

O ideal é evitar que a criança saia de casa, mas se for necessário, é preciso: 

  • Lavar as mãos com frequência, com água e sabão, especialmente quando voltar para casa após uma saída;
  • Usar álcool gel com o auxílio dos adultos;
  • Quando tossir, cobrir a boca com o antebraço;
  • Evitar coçar os olhos, nariz e boca antes de higienizar as mãos;
  • Evitar contato com infectados pelo coronavírus;
  • Se tiver mais que 2 anos, usar máscaras quando ao sair, para evitar que sejam contaminados por pessoas de fora de suas casas;
  • Tirar a roupa usada na rua e tomar um banho quando voltar para casa também é uma medida importante para impedir que o vírus seja transmitido pelo cabelo ou pelas roupas. 

Os adultos, inclusive, quando voltarem de uma saída, não devem tocar nas crianças, antes de terem todos esses cuidados.

Os adultos também devem higienizar com frequência os objetos e superfícies da casa, como maçanetas, controles remotos, celulares, interruptores, além de lavar ou higienizar sempre os brinquedos das crianças.  

Outro ponto importante é orientar as crianças a ficarem atentas aos próprios sintomas, que são os mesmos dos adultos: febre, tosse, falta de ar e até vômito e diarreia, em alguns casos.

Cartilha do Ministério da Saúde

Para facilitar essa tarefa para as famílias, o Ministério da Saúde até criou uma cartilha com linguagem adaptada para a faixa etária do público infantil.

 O documento vai ajudá-las a entender melhor a doença, qual é conduta que devem ter para se prevenir e até identificar os sintomas.

Esses cuidados são fundamentais porque as crianças, embora não sejam do grupo de risco para o contágio da doença, podem transmiti-la para pessoas da própria casa, sejam pais ou avós. Normalmente, crianças ficam muito atentas ao bem-estar das pessoas que amam.

Quais outros cuidados são necessários durante a pandemia?

Além dos aspectos de higiene, outras iniciativas serão importantes nesses tempos em que todos estão dentro de casa, como algumas ações preventivas e convívio:

  • Evite que o álcool gel esteja em uma área de livre acesso aos pequenos. Esse produto pode ser muito perigoso, porque quando ainda está fresco na pele, poderá pegar fogo com chamas de fósforos ou das bocas do fogão;
  • Os pais também devem ficar atentos para manter uma alimentação equilibrada dos pequenos, assim como a hidratação constante. Ter uma dieta balanceada é uma boa maneira de ter um organismo mais saudável. Por sinal, se as crianças são maiores, incluí-las na elaboração da refeição pode ser uma atividade bastante divertida para elas;
  • Uma medida importante do ponto de vista emocional é incentivar chamadas de vídeo para que as crianças consigam ver amigos, avós e outros familiares dos quais eles estão sentindo falta.

E se a criança já  estiver infectada?

Caso a criança já esteja contaminada com o coronavírus, a dica é que ela fique em um lugar bem arejado, ser bastante hidratada e bem alimentada, não ter contato com pessoas mais velhas e não receber visitas. 

Além disso, quem tiver cuidando delas deverá estar sempre de máscara de proteção, higienizar muito bem as mãos após troca de roupas ou fraldas e lavar roupas de cama da criança separadamente. Além de higienizar  constantemente com álcool gel todas as superfícies do quarto e dos locais onde a criança costuma tocar.

Leia também:

➤ Seguro de Vida e Pandemia: entenda o papel das seguradoras

Seguro de vida: como funciona?

Veja mais sobre Seguro de Vida e Pandemia nesse vídeo:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *