Seguro de vida: deve ser declarado no Imposto de Renda?

O Seguro de Vida vem ganhando muita adesão entre os brasileiros, porém é um assunto que sempre gera dúvida no quesito seguro de vida: imposto de renda.

Para te ajudar nesse processo, continue lendo o texto e entenda tudo o tema! 

O Seguro de Vida vem ganhando muita adesão entre os brasileiros, porém é um assunto que sempre gera dúvida no quesito seguro de vida: imposto de renda. Para te ajudar nesse processo, continue lendo o texto e entenda tudo o tema! Seguro de vida: o que é? Apesar do setor estar em crescimento, algumas pessoas ainda não sabem o que é o Seguro de Vida. Basicamente, se trata de um contrato que se faz com uma corretora de seguros especializada para garantir uma ajuda financeira para situações inesperadas, que infelizmente podem acontecer. Ter um Seguro de Vida garante que você e/ou sua família fiquem amparados financeiramente (de acordo com o capital contratado) diante dessas situações, seja para manter o mesmo padrão de vida de antes ou até mesmo para continuar pagando a escola ou faculdade do seu filho ou da sua filha. Para garantir ainda mais segurança, é fundamental contratar um Seguro de Vida com capital que cubra bem as necessidades da sua família. Aliás, se engana quem pensa que as coberturas podem ser utilizadas somente em caso de morte do segurado. Confira outros tipos de indenização: Invalidez Funcional Total por Doença (IFPD); Invalidez Permanente Parcial ou Total Acidente (IPA); Diárias de Incapacidade Temporária (DIT); Diárias por Internação Hospitalar (DIH); Despesas Médicas, Hospitalares e Odontológicas (DMHO); Diagnóstico de Doenças Graves (DG). Seguro de vida: como funciona? Como dito acima, muitas das coberturas do Seguro de Vida podem ser utilizadas ainda em vida, ou no caso do falecimento do titular, garantindo segurança aos seus dependentes. Algo muito interessante e que muitas pessoas não sabem é que a indenização do seguro não entra em inventário, sendo que o uso do capital se torna mais acessível no momento em que mais se precisa. Mas será que o seguro de vida incide no imposto de renda? Vamos entender! Seguro de vida: declaração imposto de renda Uma dúvida muito comum é se incide imposto de renda sobre indenização de seguro de vida, seja ele um seguro de vida individual ou seguro de vida familiar. A resposta é não! Por se tratar de um capital de indenização, não há incidência do imposto de renda. Porém, uma vez recebido o dinheiro, ele deve sim ser declarado! Entenda: Seguro de vida: como declarar no imposto de renda Para sanar de uma vez por todas as dúvidas sobre pagamento do seguro de vida e imposto de renda, você deve se atentar a alguns detalhes. Sabe aquele valor que você paga todo mês à corretora pelo Seguro de Vida? Nesse caso, não há necessidade de declarar o seguro de vida no imposto de renda. Porém, saiba que os rendimentos em cima desse valor pago - quando existentes - devem sim ser declarados! Mas isso será feito apenas quando você receber o pagamento do Seguro de Vida. Então, quanto ao recebimento do seguro de vida e imposto de renda, uma coisa é certa: havendo resgate do dinheiro ou pagamento da indenização, você deve declarar esses valores! Seguro de vida: dedução imposto renda E o seguro de vida, pode deduzir no imposto de renda? A resposta também é não! O pagamento do Seguro de Vida não pode ser deduzido na declaração do Imposto de Renda, não sendo possível abater esse valor. Como declarar no imposto de renda o seguro de vida recebido? Como dissemos, no caso do recebimento do seguro de vida, você precisa declará-lo, seja você o segurado ou o beneficiário (indenização com valor superior a R $40 mil reais). Não há necessidade de pagar nada, pois ele não incide no valor da indenização, porém, deve ser declarado. Mas como fazer isso? Você colocará essa informação na ficha “Rendimento Isentos e Não Tributáveis”, no código 3, e o descreverá como “Capital das apólices de seguro ou pecúlio pago por morte do segurado, prêmio de seguro restituído em qualquer caso e pecúlio recebido de entidades de previdência privada em decorrência de morte ou invalidez permanente”. Seguro de vida no imposto de renda: cobertura por sobrevivência Porém, se você tem um Seguro de Vida com cobertura por sobrevivência, há uma certa diferença. Nesse caso, o seguro de vida lança no imposto de renda, já que eles são vistos como um tipo de investimento/aplicação financeira, por gerarem rendimentos. Porém, haverá incidência somente sobre o rendimento, que deverá ser informado na ficha “Bens e Direitos”, em sua declaração e obedecerá uma alíquota fixa de 15% ou uma tabela regressiva, de acordo com o prazo de resgate. Isso dependerá muito do plano escolhido no momento da contratação: Ainda não fez o seu Seguro de Vida? Agora que você já viu quão importante ele é, entre em contato com um de nossos corretores e solicite uma simulação/cotação gratuita! Sua dúvida sobre “Seguro de vida tem que declarar no imposto de renda?” foi respondida? Se tiver mais alguma dúvida entre em contato.

Seguro de vida: o que é? 

Apesar do setor estar em crescimento, algumas pessoas ainda não sabem o que é o Seguro de Vida. 

Basicamente, se trata de um contrato que se faz com uma corretora de seguros especializada para garantir uma ajuda financeira para situações inesperadas, que infelizmente podem acontecer.

Ter um Seguro de Vida garante que você e/ou sua família fiquem amparados financeiramente (de acordo com o capital contratado) diante dessas situações, seja para manter o mesmo padrão de vida de antes ou até mesmo para continuar pagando a escola ou faculdade do seu filho ou da sua filha. Para garantir ainda mais segurança, é fundamental contratar um Seguro de Vida com capital que cubra bem as necessidades da sua família. 

Aliás, se engana quem pensa que as coberturas podem ser utilizadas somente em caso de morte do segurado. Confira outros tipos de indenização:

  • Invalidez Funcional Total por Doença (IFPD);
  • Invalidez Permanente Parcial ou Total Acidente (IPA);
  • Diárias de Incapacidade Temporária (DIT);
  • Diárias por Internação Hospitalar (DIH);
  • Despesas Médicas, Hospitalares e Odontológicas (DMHO);
  • Diagnóstico de Doenças Graves (DG).

Seguro de vida: como funciona?

Como dito acima, muitas das coberturas do Seguro de Vida podem ser utilizadas ainda em vida, ou no caso do falecimento do titular, garantindo segurança aos seus dependentes. 

Algo muito interessante e que muitas pessoas não sabem é que a indenização do seguro não entra em inventário, sendo que o uso do capital se torna mais acessível no momento em que mais se precisa. 

Mas será que o seguro de vida incide no imposto de renda? Vamos entender!

Seguro de vida: declaração imposto de renda

Uma dúvida muito comum é se incide imposto de renda sobre indenização de seguro de vida, seja ele um seguro de vida individual ou seguro de vida familiar

A resposta é não! Por se tratar de um capital de indenização, não há incidência do imposto de renda. Porém, uma vez recebido o dinheiro, ele deve sim ser declarado! Entenda:

Seguro de vida: como declarar no imposto de renda

Para sanar de uma vez por todas as dúvidas sobre pagamento do seguro de vida e imposto de renda, você deve se atentar a alguns detalhes. 

Sabe aquele valor que você paga todo mês à corretora pelo Seguro de Vida? Nesse caso, não há necessidade de declarar o seguro de vida no imposto de renda.

Porém, saiba que os rendimentos em cima desse valor pago – quando existentes – devem sim ser declarados! Mas isso será feito apenas quando você receber o pagamento do Seguro de Vida. 

Então, quanto ao recebimento do seguro de vida e imposto de renda, uma coisa é certa: havendo resgate do dinheiro ou pagamento da indenização, você deve declarar esses valores!

Seguro de vida: dedução imposto renda 

E o seguro de vida, pode deduzir no imposto de renda? A resposta também é não!

O pagamento do Seguro de Vida não pode ser deduzido na declaração do Imposto de Renda, não sendo possível abater esse valor. 

Como declarar no imposto de renda o seguro de vida recebido?

Como dissemos, no caso do recebimento do seguro de vida, você precisa declará-lo, seja você o segurado ou o beneficiário (indenização com valor superior a R $40 mil reais).

Não há necessidade de pagar nada, pois ele não incide no valor da indenização, porém, deve ser declarado. Mas como fazer isso?

Você colocará essa informação na ficha “Rendimento Isentos e Não Tributáveis”, no código 3, e o descreverá como “Capital das apólices de seguro ou pecúlio pago por morte do segurado, prêmio de seguro restituído em qualquer caso e pecúlio recebido de entidades de previdência privada em decorrência de morte ou invalidez permanente”. 

Seguro de vida no imposto de renda: cobertura por sobrevivência

Porém, se você tem um Seguro de Vida com cobertura por sobrevivência, há uma certa diferença.

Nesse caso, o seguro de vida lança no imposto de renda, já que eles são vistos como um tipo de investimento/aplicação financeira, por gerarem rendimentos.

Porém, haverá incidência somente sobre o rendimento, que deverá ser informado na ficha “Bens e Direitos”, em sua declaração e obedecerá uma alíquota fixa de 15% ou uma tabela regressiva, de acordo com o prazo de resgate. Isso dependerá muito do plano escolhido no momento da contratação.

Fonte: https://mag.com.br/blog/educacao-financeira/artigo/seguro-de-vida-no-imposto-de-renda

Ainda não fez o seu Seguro de Vida? Agora que você já viu quão importante ele é, entre em contato com um de nossos corretores e solicite uma simulação/cotação gratuita! 

Sua dúvida sobre “Seguro de vida tem que declarar no imposto de renda?” foi respondida? Se tiver mais alguma dúvida entre em contato.

Leia também: seguro de vida tem carência?

Compartilhe:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Posts Relacionados

Veja também

Muitas pessoas sequer pensam em deixar o automóvel sem a cobertura de um seguro, mas nunca pararam para pensar sobre a proteção que um Seguro de Vida traz para quem contrata e, também, para a família. Com uma tabela de Seguro de Vida, você verá que o preço dessa proteção pode ser bem menor do que você pensa e ainda proporcionar vantagens para seus familiares/beneficiários em momentos difíceis. Acompanhe o texto. Tabela seguro de vida: preço pode ser mais barato que um seguro de carro? Fazendo uma rápida pesquisa sobre seguro de vida: tabela de valores, você verá que o valor que se investe mensalmente é muito pequeno perto do benefício que ele trará, já que esse é um produto que gera amparo para as pessoas importantes da sua vida nessas situações angustiantes. No entanto, o pensamento mais comum do consumidor mostrava uma preocupação bem maior em garantir a reposição de um carro roubado do que contratar um seguro de vida que garantisse uma segurança à família no caso de falecimento do(a) provedor(a) dos recursos financeiros da casa. Porém, de acordo com a CNSeg (Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização) esse cenário já está mudando. Segundo dados do boletim de conjuntura do órgão, só em setembro de 2019 houve um incremento de 27,4% na contratação de Seguros de Vida em relação ao mesmo período do ano anterior. O que muitos não sabem é que o preço do seguro de vida pode ter um custo mensal bem mais baixo do que um seguro de automóvel. Além disso, pode garantir uma proteção em casos bastante diferenciados. Vale conversar com um corretor de seguros de confiança e solicitar cotação e/ou a tabela de preços de seguro de vida de diversas seguradoras para comprovar isso. Além da indenização pela morte, também conhecida como capital morte, o produto é bastante amplo, com cobertura para Invalidez Parcial ou Total por Acidente ou Doença, por exemplo. A indenização é paga aos beneficiários indicados pelo contratante/segurado e não entra em partilha de bens. Outros grandes diferenciais é que a indenização do Seguro de Vida também não responde por dívidas e é isenta de tributação de Imposto de Renda. Seguro de vida: tabela de preços E quanto custa um seguro de vida? É certo que o preço do Seguro de Vida varia de contratante para contratante, pois são levadas em consideração características individuais de cada cliente. O valor também vai variar de seguradora para seguradora, do tipo de seguro escolhido, das coberturas selecionadas, e da idade do contratante versus o valor da cobertura escolhida, motivo pelo qual o melhor momento para contratar um seguro de vida é quando se tem uma faixa etária menor, pois é possível adquirir um maior capital morte por um menor valor de prêmio mensal. Outro fator que é importante mencionar é: com o avanço etário, o perfil do proponente fica mais agravado, onerando mais o valor do prêmio mensal. É necessário ter muita atenção pois, em faixas etárias mais avançadas a seguradora pode recusar a contratação do seguro. Disponibilizamos gratuitamente e 100% consultivo, serviço de atendimento para montagem do plano que melhor atende às necessidades de cada pessoa. Assim, fica mais fácil de entender a tabela de seguro de vida e o preço de um seguro de vida individual ou em grupo. Seguro de vida: preço mensal Para conhecimento, existem planos disponíveis a partir de R$18,74 (valores de referência em junho de 2021) com o capital segurado mais básico, o que demonstra um excelente custo-benefício para os contratantes. Seguro de vida empresarial: preço O seguro de vida empresarial cobre um grupo de segurados. Ele é contratado por uma empresa, para o seus colaboradores, dando mais tranquilidade a eles e seus familiares em caso de morte ou invalidez, assim como um seguro de vida individual. O contrato varia de acordo com as necessidades de cada empresa, suas condições financeiras e o risco do ramo em que ela atua. Por isso, a precificação de um seguro de vida empresarial pode sofrer alterações em cada caso. O ideal é entrar em contato com um corretor de seguros de confiança, que entenderá o caso de maneira individual e saberá orientar sobre as cotações e tabela de valores de seguro de vida, no caso de apólices exclusivas. Seguro de vida familiar: preço O seguro de vida familiar oferece coberturas completas, garantindo tranquilidade e segurança em casos de imprevistos, tanto para o contratante quanto para os familiares. Tais coberturas variam de acordo com o contrato e as necessidades do contratante, mas, no geral, incluem*: Cobertura em casos de morte acidental ou natura*l; Cobertura em casos de invalidez permanente total ou parcial, causada por acidente, ou invalidez funcional, desenvolvida por alguma doença*; Cobertura estendida para o cônjuge*; O preço médio do seguro de vida vai depender das coberturas contratadas, porém é possível encontrar um seguro de vida, para garantir a segurança familiar, a partir de R$18,74 ao mês (valores de referência em junho de 2021). *Consulte seu corretor de seguros para condições de contratação. Seguro de vida: indenização não é considerada uma herança A indenização do seguro de vida não é considerada uma herança (motivo pelo qual ela não entra em inventário), bem como está isenta de tributação e declaração de Imposto de Renda. Conforme determinação da SUSEP (Superintendência de Seguros Privados), o prazo para análise do processo de sinistro por falecimento do titular do seguro é de 30 (trinta) dias a partir da entrega de todos os documentos solicitados pela seguradora. No caso de envio de documentos com algum erro ou em caso de solicitação de documentação e/ou informação complementar, o prazo de até 30 dias será suspenso, voltando a correr do zero a partir do envio das informações complementares. Seguro de vida: o que é e como funciona? Caso você ainda não saiba o que é o Seguro de Vida e como ele funciona, vamos te explicar. Sabemos que imprevistos acontecem, por isso nada melhor do que estar protegido diante dessas situações. O Seguro de Vida visa a proteção do contratante, por meio de assistências e coberturas que podem ser usadas ainda em vida – como doenças graves, invalidez por doença ou acidente, entre outros, bem como visa garantir a segurança financeira da família ou entes queridos no caso de um evento inesperado, como o falecimento do titular.* Esse contrato é feito por intermédio de uma corretora de seguros especializada, resguardando os beneficiários ou o titular diante de um evento coberto na apólice, como os descritos acima. Hoje, existe uma gama muito ampla de opções no mercado, podendo o seguro de vida ser individual, coletivo ou até mesmo opções mais específicas, como o seguro de vida mulher. O Seguro de Vida em grupo, por exemplo, pode ser contratado por empresas. Nesse caso,a empresa será a estipulante do contrato e responsável pela representação dos funcionários. Esse tipo de apólice pode ser contributiva (funcionários arcam com parte ou totalidade do valor do seguro) ou não contributária (empresa assume totalmente com os custos do seguro). De qualquer forma, os funcionários podem fazer a adesão ao seguro por meio da apólice contratada pela empresa e contar com toda a segurança das coberturas contratadas. Além disso, seus familiares receberão a indenização estipulada no caso de uma fatalidade. O interessante é conversar com o seu corretor de seguros e entender qual mais se adapta ao seu perfil e a sua realidade. Outro ponto muito positivo, e que merece ser mencionado novamente, é que a indenização do seguro não entra em inventário e está livre da tributação de imposto de renda, auxiliando os familiares no uso do capital contratado para saldar eventuais dívidas ou manter os padrões de vida familiar. *Consulte seu corretor para condições de contratação. Seguro de vida: a visão da Executiva A Executiva Corretora de Seguros está sempre disposta a atender às necessidades de amparo de seus segurados. Inclusive, seguimos as novas diretrizes da SUSEP para Seguro de Vida e Pandemia. Não importa se a cotação é para uma apólice individual ou seguro de vida em grupo, o preço pode sofrer alterações, podendo ser adequado à expectativa/realidade dos clientes. Estamos prontos para responder todas as suas dúvidas, como “Seguro de vida tem carência?” e tabela de reajuste de seguro de vida, em caso de renovação. Para nós, garantir o bem-estar dos nossos segurados para enfrentar qualquer situação é o nosso principal objetivo e grande satisfação.

Quanto custa um Seguro de Vida?

Muitas pessoas sequer pensam em deixar o automóvel sem a cobertura de um seguro, mas nunca pararam para pensar sobre a proteção que um Seguro