Como fazer uma Previdência Privada?

Planejar uma tranquilidade futura com uma renda extra pode ser o principal motivo para levar alguém a buscar como fazer uma Previdência Privada.

Planejar uma tranquilidade futura com uma renda extra pode ser o principal motivo para levar alguém a buscar como fazer uma Previdência Privada.

Entenda nesse post, quais passos deverão ser percorridos por quem quer aderir à Previdência Privada.

O que é Previdência Privada e por que fazer um plano?

A Previdência Privada é um investimento a longo prazo que funciona para que alguém planeje um rendimento extra na sua aposentadoria e uma maior segurança financeira para o futuro. Esse investimento não tem nenhuma ligação com a aposentadoria social do INSS.

Para quem ganha acima do Teto do INSS (R$ 5.800) e quer continuar desfrutando o mesmo padrão de vida após a aposentadoria, a Previdência Privada será uma ótima forma de ter uma renda complementar à aposentadoria pública.

É importante saber que o ideal é fazer um plano de Previdência Privada o quanto antes. Quem estiver na casa dos 20 anos, por exemplo, poderá ter uma renda bastante satisfatória e assim realizar essas metas a longo prazo.

Mas também é possível fazer uma Previdência Privada na faixa dos 40 anos para planejar esses rendimentos extras no momento da aposentadoria. Porém, quanto antes a Previdência Privada for contratada, maiores serão os rendimentos no futuro.

Além disso, outros benefícios da Previdência Privada são: 

  • O valor aplicado não faz parte de inventários; 
  • É impenhorável; 
  • Não tem come-cotas (que é uma antecipação no recolhimento do Imposto de Renda em diversos fundos de investimentos).

Dicas para quem quer entender como fazer uma Previdência Privada

Nesse momento, é importante lembrar que a longevidade do brasileiro tem aumentado nas últimas décadas e a aposentadoria pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), também está com regras mais rígidas no país. 

A partir da reforma da previdência, os homens só poderão se aposentar com o mínimo de 65 anos e as mulheres com 62 anos.

Por essa razão, fazer um plano de Previdência Privada pode ajudar quem está pensando em diminuir o ritmo de trabalho, por exemplo, a partir dos 60 anos, mas ainda não chegou na idade mínima do governo ou não atingiu ainda o tempo de contribuição para a aposentadoria integral.

A Previdência Privada vale mais a pena quando a pessoa faz o investimento a longo prazo.

A partir de 10 anos de contribuição já é possível desfrutar de alguns benefícios tributários.

Para fazer a Previdência Privada, é preciso seguir alguns passos. Após selecionar a corretora de sua confiança, a próxima medida é definir o valor que será investido visando essa reserva financeira no futuro, tanto no que se refere ao valor pago mensalmente para a Previdência Privada, como o valor vitalício da aposentadoria e por quanto tempo vai querer desfrutar desses rendimentos no futuro. 

Junto com o seu corretor, é importante definir também em quais fundos deverão ser aplicados os seus rendimentos. Há opções de fundos mais conservadores, agressivos ou moderados.

Para chegar no valor a ser investido ou as contribuições mensais, é importante fazer simulações da Previdência Privada para ter uma ideia melhor sobre os números, além de conhecer vantagens e desvantagens, portabilidade e rentabilidade. Serão necessários alguns fatores para fazer o cálculo, como:

  • Valor do investimento;
  • Rendimento;
  • Tempo do investimento;
  • Renda pretendida no futuro;
  • Tempo de usufruto do investimento, etc.
  • Com todos esses passos, muitas contratações de Previdência Privada podem ocorrer on-line.

Tipos de Previdência Privada

Quando alguém está pensando em entender como fazer Previdência Privada, também é importante conhecer os tipos disponíveis no mercado, que são o VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre) e o PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre), que são siglas bastante conhecidas, porém, nem todas as pessoas sabem o que significa.

O VGBL  é um plano indicado para pessoas que fazem a Declaração de Imposto de Renda Simplificada, que poderá ter um ótimo benefício tributário no momento do resgate, com imposto incidindo apenas nos rendimentos do plano.

O PGBL é para quem tem um rendimento maior e faz a Declaração de Imposto de Renda completa. Esse plano vai permitir abatimentos de até 12% da renda bruta tributável anual na declaração de Imposto de Renda, porém, quando a pessoa fizer o resgate, o imposto vai incidir sobre o valor do investimento e os rendimentos.

Quem está interessado em fazer um plano de Previdência Privada também poderá escolher por dois tipos de tributação: Progressiva e Regressiva. Na primeiro, o valor do imposto é fixo em todo o período da contribuição, já no segundo o percentual do imposto vai diminuindo ao longo do tempo.

Visão da Executiva

Se você está pensando como fazer Previdência Privada,  a Executiva Corretora de Seguros poderá prestar todos os esclarecimentos sobre essa opção de renda extra no futuro.

Nosso time está completamente disponível para esclarecer todas as suas questões sobre a Previdência Privada, como funciona e como fazer,  para que você contrate essa modalidade de investimento. 

Leia também: 

➡ Seguro de vida: como funciona?

Compartilhe:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Posts Relacionados

Veja também

Muitas pessoas sequer pensam em deixar o automóvel sem a cobertura de um seguro, mas nunca pararam para pensar sobre a proteção que um Seguro de Vida traz para quem contrata e, também, para a família. Com uma tabela de Seguro de Vida, você verá que o preço dessa proteção pode ser bem menor do que você pensa e ainda proporcionar vantagens para seus familiares/beneficiários em momentos difíceis. Acompanhe o texto. Tabela seguro de vida: preço pode ser mais barato que um seguro de carro? Fazendo uma rápida pesquisa sobre seguro de vida: tabela de valores, você verá que o valor que se investe mensalmente é muito pequeno perto do benefício que ele trará, já que esse é um produto que gera amparo para as pessoas importantes da sua vida nessas situações angustiantes. No entanto, o pensamento mais comum do consumidor mostrava uma preocupação bem maior em garantir a reposição de um carro roubado do que contratar um seguro de vida que garantisse uma segurança à família no caso de falecimento do(a) provedor(a) dos recursos financeiros da casa. Porém, de acordo com a CNSeg (Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização) esse cenário já está mudando. Segundo dados do boletim de conjuntura do órgão, só em setembro de 2019 houve um incremento de 27,4% na contratação de Seguros de Vida em relação ao mesmo período do ano anterior. O que muitos não sabem é que o preço do seguro de vida pode ter um custo mensal bem mais baixo do que um seguro de automóvel. Além disso, pode garantir uma proteção em casos bastante diferenciados. Vale conversar com um corretor de seguros de confiança e solicitar cotação e/ou a tabela de preços de seguro de vida de diversas seguradoras para comprovar isso. Além da indenização pela morte, também conhecida como capital morte, o produto é bastante amplo, com cobertura para Invalidez Parcial ou Total por Acidente ou Doença, por exemplo. A indenização é paga aos beneficiários indicados pelo contratante/segurado e não entra em partilha de bens. Outros grandes diferenciais é que a indenização do Seguro de Vida também não responde por dívidas e é isenta de tributação de Imposto de Renda. Seguro de vida: tabela de preços E quanto custa um seguro de vida? É certo que o preço do Seguro de Vida varia de contratante para contratante, pois são levadas em consideração características individuais de cada cliente. O valor também vai variar de seguradora para seguradora, do tipo de seguro escolhido, das coberturas selecionadas, e da idade do contratante versus o valor da cobertura escolhida, motivo pelo qual o melhor momento para contratar um seguro de vida é quando se tem uma faixa etária menor, pois é possível adquirir um maior capital morte por um menor valor de prêmio mensal. Outro fator que é importante mencionar é: com o avanço etário, o perfil do proponente fica mais agravado, onerando mais o valor do prêmio mensal. É necessário ter muita atenção pois, em faixas etárias mais avançadas a seguradora pode recusar a contratação do seguro. Disponibilizamos gratuitamente e 100% consultivo, serviço de atendimento para montagem do plano que melhor atende às necessidades de cada pessoa. Assim, fica mais fácil de entender a tabela de seguro de vida e o preço de um seguro de vida individual ou em grupo. Seguro de vida: preço mensal Para conhecimento, existem planos disponíveis a partir de R$18,74 (valores de referência em junho de 2021) com o capital segurado mais básico, o que demonstra um excelente custo-benefício para os contratantes. Seguro de vida empresarial: preço O seguro de vida empresarial cobre um grupo de segurados. Ele é contratado por uma empresa, para o seus colaboradores, dando mais tranquilidade a eles e seus familiares em caso de morte ou invalidez, assim como um seguro de vida individual. O contrato varia de acordo com as necessidades de cada empresa, suas condições financeiras e o risco do ramo em que ela atua. Por isso, a precificação de um seguro de vida empresarial pode sofrer alterações em cada caso. O ideal é entrar em contato com um corretor de seguros de confiança, que entenderá o caso de maneira individual e saberá orientar sobre as cotações e tabela de valores de seguro de vida, no caso de apólices exclusivas. Seguro de vida familiar: preço O seguro de vida familiar oferece coberturas completas, garantindo tranquilidade e segurança em casos de imprevistos, tanto para o contratante quanto para os familiares. Tais coberturas variam de acordo com o contrato e as necessidades do contratante, mas, no geral, incluem*: Cobertura em casos de morte acidental ou natura*l; Cobertura em casos de invalidez permanente total ou parcial, causada por acidente, ou invalidez funcional, desenvolvida por alguma doença*; Cobertura estendida para o cônjuge*; O preço médio do seguro de vida vai depender das coberturas contratadas, porém é possível encontrar um seguro de vida, para garantir a segurança familiar, a partir de R$18,74 ao mês (valores de referência em junho de 2021). *Consulte seu corretor de seguros para condições de contratação. Seguro de vida: indenização não é considerada uma herança A indenização do seguro de vida não é considerada uma herança (motivo pelo qual ela não entra em inventário), bem como está isenta de tributação e declaração de Imposto de Renda. Conforme determinação da SUSEP (Superintendência de Seguros Privados), o prazo para análise do processo de sinistro por falecimento do titular do seguro é de 30 (trinta) dias a partir da entrega de todos os documentos solicitados pela seguradora. No caso de envio de documentos com algum erro ou em caso de solicitação de documentação e/ou informação complementar, o prazo de até 30 dias será suspenso, voltando a correr do zero a partir do envio das informações complementares. Seguro de vida: o que é e como funciona? Caso você ainda não saiba o que é o Seguro de Vida e como ele funciona, vamos te explicar. Sabemos que imprevistos acontecem, por isso nada melhor do que estar protegido diante dessas situações. O Seguro de Vida visa a proteção do contratante, por meio de assistências e coberturas que podem ser usadas ainda em vida – como doenças graves, invalidez por doença ou acidente, entre outros, bem como visa garantir a segurança financeira da família ou entes queridos no caso de um evento inesperado, como o falecimento do titular.* Esse contrato é feito por intermédio de uma corretora de seguros especializada, resguardando os beneficiários ou o titular diante de um evento coberto na apólice, como os descritos acima. Hoje, existe uma gama muito ampla de opções no mercado, podendo o seguro de vida ser individual, coletivo ou até mesmo opções mais específicas, como o seguro de vida mulher. O Seguro de Vida em grupo, por exemplo, pode ser contratado por empresas. Nesse caso,a empresa será a estipulante do contrato e responsável pela representação dos funcionários. Esse tipo de apólice pode ser contributiva (funcionários arcam com parte ou totalidade do valor do seguro) ou não contributária (empresa assume totalmente com os custos do seguro). De qualquer forma, os funcionários podem fazer a adesão ao seguro por meio da apólice contratada pela empresa e contar com toda a segurança das coberturas contratadas. Além disso, seus familiares receberão a indenização estipulada no caso de uma fatalidade. O interessante é conversar com o seu corretor de seguros e entender qual mais se adapta ao seu perfil e a sua realidade. Outro ponto muito positivo, e que merece ser mencionado novamente, é que a indenização do seguro não entra em inventário e está livre da tributação de imposto de renda, auxiliando os familiares no uso do capital contratado para saldar eventuais dívidas ou manter os padrões de vida familiar. *Consulte seu corretor para condições de contratação. Seguro de vida: a visão da Executiva A Executiva Corretora de Seguros está sempre disposta a atender às necessidades de amparo de seus segurados. Inclusive, seguimos as novas diretrizes da SUSEP para Seguro de Vida e Pandemia. Não importa se a cotação é para uma apólice individual ou seguro de vida em grupo, o preço pode sofrer alterações, podendo ser adequado à expectativa/realidade dos clientes. Estamos prontos para responder todas as suas dúvidas, como “Seguro de vida tem carência?” e tabela de reajuste de seguro de vida, em caso de renovação. Para nós, garantir o bem-estar dos nossos segurados para enfrentar qualquer situação é o nosso principal objetivo e grande satisfação.

Quanto custa um Seguro de Vida?

Muitas pessoas sequer pensam em deixar o automóvel sem a cobertura de um seguro, mas nunca pararam para pensar sobre a proteção que um Seguro