Restituição do Imposto de Renda 2021: ainda não recebeu? O que fazer?

Você fez sua declaração mas está com dúvidas a respeito da restituição do Imposto de Renda 2021 porque ainda não recebeu? Então, acompanhe o texto e entenda o que fazer. Restituição de Imposto de Renda 2021: como funciona? Antes de falar sobre os lotes de restituição do imposto de renda 2021, vale entender como o mecanismo funciona. O governo brasileiro cobra o Imposto de Renda em cima dos ganhos dos brasileiros. Esse tributo pode ser recolhido diretamente na origem da transação (Imposto de Renda Retido na Fonte), a exemplo dos salários, porém, podem haver divergências entre o valor pago pelo contribuinte e o que ele deveria pagar. Então, ao fazer a declaração de Imposto de Renda informando todos os rendimentos, é feito um cálculo para constar se houve pagamento a mais do tributo. Se sim, haverá restituição desse valor, o que é chamado de restituição de Imposto de Renda. Quando começou a restituição do Imposto de Renda 2021? A restituição do Imposto de Renda 2021 foi programada para ser liberada em 5 lotes, entre os meses de maio e setembro, ou seja, no dia 31 de maio ocorreu a primeira, e o último foi em 30 de setembro. Restituição Imposto de Renda 2021: cronograma Confira abaixo o calendário de restituição do Imposto de Renda 2021: Lote Data de pagamento 1º 31/05/2021 2º 30/06/2021 3º 30/07/2021 4º 31/08/2021 5º 30/09/2021 Restituição Imposto de Renda 2021: consulta Por outro lado, não basta apenas saber as datas dos lotes. É preciso saber em qual lote a restituição está. Em todos os anos, vale lembrar que quanto antes entregar a sua declaração, mais chances terá de receber mais rapidamente a restituição. Assim como todos os anos, a restituição do imposto de renda 2021, o primeiro lote foi destinado para grupos com prioridades, como pessoas idosas ou que tenham algum tipo de deficiência ou doença. Se a sua restituição não chegou ainda é possível realizar uma consulta de restituição do Imposto de Renda 2021, no site oficial da Receita Federal. Também é possível consultar pelo aplicativo da Receita para tablets e celulares. Será necessário informar o CPF, ano de consulta , a sua data de nascimento e indicar o código de acesso impresso na página e clicar em “Consultar”. Normalmente, essa consulta sempre pode ser feita uma semana antes do pagamento do lote em questão. Durante a consulta, se o contribuinte caiu na malha fina também é possível consultar e saber se existem pendências que estão impedindo a liberação da restituição. Normalmente, esse fato ocorre porque a Receita cruza dados de diversas fontes, e pode ter encontrado alguma irregularidade nos dados apresentados pelo contribuinte, como erros de digitação, falta de documentos necessários, omissão de dados, etc. Em junho de 2021, foram divulgadas pela Receita mais de 747 mil declarações retidas na malha fina. Lotes de restituição do Imposto de Renda 2021: não recebi, e agora? Essa não é uma situação incomum para milhares de contribuintes, além de poder ter caído na malha fina, se a data de recebimento dos lotes do contribuinte já passou e não recebeu nada até agora, podem ter ocorrido outros contratempos, como: É possível o contribuinte ter digitado o número errado da agência ou da própria conta; Ter feito o cadastro da conta de outra pessoa: nesse caso, o contribuinte não vai receber a restituição, porque só é autorizada a transferência do valor para contas em nome do contribuinte. Nesses casos, e se o contribuinte caiu mesmo na malha fina, e constarem pendências na sua situação, ele poderá preencher uma retificação de Imposto de Renda e enviar documentos que ajudem a demonstrar que a irregularidade não ocorreu de forma intencional. Na aba de pendências, ele deverá ser informado qual é o motivo que levou à retenção de sua restituição. Esse envio é realizado de forma remota, pela página e-Defesa, que é um portal específico para esses requerimentos. É preciso ressaltar que os documentos apresentados precisam estar dentro da validade e serem escaneados de forma adequada para permitir que as informações estejam bem visíveis.. O contribuinte pode também esperar para ser intimado pela Receita Federal para dar suas justificativas. Essa notificação é virtual, e o contribuinte deverá prestar esses esclarecimentos pelo número de telefone indicado ou por e-mail. Quando o contribuinte é notificado é gerado um auto de infração, e ele poderá ter que pagar uma multa. Quanto antes regularizar a situação, melhor será, até para não incorrer em juros que são corrigidos pela Selic. Antes da pandemia era possível também tentar agendar uma visita, mas depois da crise sanitária todo o processo passou a ser remoto. Restituição de imposto de renda em caso de falecimento: o que fazer? Apesar de ser um momento delicado e difícil, caso algum parente tenha falecido no ano em questão, alguém próximo deve ser responsável pelo preenchimento do documento e envio à Receita Federal, constando as rendas e despesas do falecido no ano passado, quando ele ainda estava vivo. Caso haja imposto a pagar, esse pagamento deve ser feito para não haver cobrança de multa. E, se houver imposto a restituir, o responsável pela declaração deverá informar, no momento do preenchimento, uma conta bancária em nome do falecido. Se não existir, será necessário ir até um Banco do Brasil para ter acesso à restituição. Já a declaração de espólio é aquela feita em relação aos bens, direitos e obrigações da pessoa falecida, devendo ser feita a partir do ano seguinte ao falecimento do contribuinte até que tenha a escritura pública de inventário e partilha ou a decisão judicial de partilha, sobrepartilha ou adjudicação dos bens inventariados tenha transitado em julgado (sem a possibilidade de recurso). Quem deve declarar Imposto de Renda? Vamos relembrar que o Imposto de Renda é uma declaração feita para informar os rendimentos recebidos no ano em questão, sejam eles tributáveis ou não tributáveis. Em 2021, a obrigatoriedade de declaração aconteceu nos seguintes casos: Recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70; Teve rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte acima de R$ 40 mil, incluindo o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e seguro-desemprego; Tinha, em 31/12/2020, bens e direitos de mais de R$ 300 mil; Teve lucro ao vender bens sujeitos à incidência do Imposto de Renda; Recebeu auxílio emergencial e teve renda tributável acima de R$ 22.847,76 no ano; Realizou operação na Bolsa de Valores em 2020; Optou pela isenção do IR sobre o ganho de capital (lucro) na venda de imóvel residencial cujo valor foi aplicado na compra de outro imóvel no país, no prazo de até 180 dias da venda (artigo 39 da lei 11.196, de 21 de novembro de 2005); Teve receita bruta com atividade rural de mais de R$ 142.798,50 ou quer compensar as perdas na área; Passou a morar no Brasil e aqui estava em 31/12/2020. Porém, é preciso ficar atento, todos os anos, na obrigatoriedade de declaração de Imposto de Renda, pois as regras podem mudar de acordo com o tempo. Mas fique atento também ao calendário de restituição do Imposto de Renda 2021 para consultar a restituição do Imposto de Renda 2021. Dessa forma, você terá uma ideia de quando deveria ter saído a sua restituição do Imposto de Renda 2021 e o que deve fazer se não recebeu ainda. Leve mais tranquilidade financeira a você e sua família Se você está procurando maneiras de levar mais segurança financeira à sua família, é hora de contratar um Seguro de Vida. Essa é uma modalidade de seguro que visa a segurança do contratante, por meio de assistências e coberturas que são usadas ainda em vida (como doenças graves - DG, invalidez por doença ou acidente - IFPD/IPA, etc.), bem como visa garantir a segurança financeira da família ou entes queridos no caso de um evento inesperado, como o falecimento do titular.* É importante lembrar que a indenização do seguro de vida não entra em inventário, está livre da tributação de imposto de renda, dentre outros fatores que auxiliam os familiares no uso do capital contratado para saldar dívidas, manutenção dos padrões de vida familiar ou fazer o pagamento de mensalidades escolares/universitárias. Entre em contato com um de nossos consultores e solicite uma cotação! *Consulte seu corretor para condições de contratação.

Você fez sua declaração mas está com dúvidas a respeito da restituição do Imposto  de Renda 2021 porque ainda não recebeu?

Então, acompanhe o texto e entenda o que fazer.

Restituição de Imposto de Renda 2021: como funciona?

Antes de falar sobre os lotes de restituição do imposto  de renda 2021, vale entender como o mecanismo funciona.

O governo brasileiro cobra o Imposto de Renda em cima dos ganhos dos brasileiros.

Esse tributo pode ser recolhido diretamente na origem da transação (Imposto de Renda Retido na Fonte), a exemplo dos salários, porém, podem haver divergências entre o valor pago pelo contribuinte e o que ele deveria pagar.

Então, ao fazer a declaração de Imposto de Renda informando todos os rendimentos, é feito um cálculo para constar se houve pagamento a mais do tributo.

Se sim, haverá restituição desse valor, o que é chamado de restituição de Imposto de Renda.

Quando começou a restituição do Imposto de Renda 2021?

A restituição do Imposto de Renda 2021 foi programada para ser liberada em 5 lotes, entre os meses de maio e setembro, ou seja, no dia 31 de maio ocorreu a primeira, e o último foi em 30 de setembro.

Restituição Imposto de Renda 2021: cronograma 

Confira abaixo o calendário de restituição do Imposto de Renda 2021:

Lote Data de pagamento
31/5/2021
30/6/2021
30/7/2021
31/8/2021
30/9/2021

Restituição Imposto de Renda 2021: consulta

Por outro lado, não basta apenas saber as datas dos lotes. É preciso saber em qual lote a restituição está.

Em todos os anos, vale lembrar que quanto antes entregar a sua declaração, mais chances terá de receber mais rapidamente a restituição.

Assim como todos os anos, a restituição do imposto de renda 2021, o primeiro lote foi destinado para grupos com prioridades, como pessoas idosas ou que tenham algum tipo de deficiência ou doença.

Se a sua restituição não chegou ainda é  possível realizar uma consulta de restituição do Imposto de Renda 2021, no site oficial da Receita Federal. Também é possível consultar pelo aplicativo da Receita para tablets e celulares.

Será necessário informar o CPF, ano de consulta , a sua data de nascimento e indicar o código de acesso impresso na página e clicar em “Consultar”.

Normalmente, essa consulta sempre pode ser feita uma semana antes do pagamento do lote em questão. 

Durante a consulta, se o contribuinte caiu na malha fina também é possível consultar e saber se existem pendências que estão impedindo a liberação da restituição.

Normalmente, esse fato ocorre porque a Receita cruza dados de diversas fontes, e pode ter encontrado alguma irregularidade nos dados apresentados pelo contribuinte, como erros de digitação, falta de documentos necessários, omissão de dados, etc.

Em junho de 2021, foram divulgadas pela Receita mais de 747 mil declarações retidas na malha fina.

Você fez sua declaração mas está com dúvidas a respeito da restituição do Imposto de Renda 2021 porque ainda não recebeu? Então, acompanhe o texto e entenda o que fazer. Restituição de Imposto de Renda 2021: como funciona? Antes de falar sobre os lotes de restituição do imposto de renda 2021, vale entender como o mecanismo funciona. O governo brasileiro cobra o Imposto de Renda em cima dos ganhos dos brasileiros. Esse tributo pode ser recolhido diretamente na origem da transação (Imposto de Renda Retido na Fonte), a exemplo dos salários, porém, podem haver divergências entre o valor pago pelo contribuinte e o que ele deveria pagar. Então, ao fazer a declaração de Imposto de Renda informando todos os rendimentos, é feito um cálculo para constar se houve pagamento a mais do tributo. Se sim, haverá restituição desse valor, o que é chamado de restituição de Imposto de Renda. Quando começou a restituição do Imposto de Renda 2021? A restituição do Imposto de Renda 2021 foi programada para ser liberada em 5 lotes, entre os meses de maio e setembro, ou seja, no dia 31 de maio ocorreu a primeira, e o último foi em 30 de setembro. Restituição Imposto de Renda 2021: cronograma Confira abaixo o calendário de restituição do Imposto de Renda 2021: Lote Data de pagamento 1º 31/05/2021 2º 30/06/2021 3º 30/07/2021 4º 31/08/2021 5º 30/09/2021 Restituição Imposto de Renda 2021: consulta Por outro lado, não basta apenas saber as datas dos lotes. É preciso saber em qual lote a restituição está. Em todos os anos, vale lembrar que quanto antes entregar a sua declaração, mais chances terá de receber mais rapidamente a restituição. Assim como todos os anos, a restituição do imposto de renda 2021, o primeiro lote foi destinado para grupos com prioridades, como pessoas idosas ou que tenham algum tipo de deficiência ou doença. Se a sua restituição não chegou ainda é possível realizar uma consulta de restituição do Imposto de Renda 2021, no site oficial da Receita Federal. Também é possível consultar pelo aplicativo da Receita para tablets e celulares. Será necessário informar o CPF, ano de consulta , a sua data de nascimento e indicar o código de acesso impresso na página e clicar em “Consultar”. Normalmente, essa consulta sempre pode ser feita uma semana antes do pagamento do lote em questão. Durante a consulta, se o contribuinte caiu na malha fina também é possível consultar e saber se existem pendências que estão impedindo a liberação da restituição. Normalmente, esse fato ocorre porque a Receita cruza dados de diversas fontes, e pode ter encontrado alguma irregularidade nos dados apresentados pelo contribuinte, como erros de digitação, falta de documentos necessários, omissão de dados, etc. Em junho de 2021, foram divulgadas pela Receita mais de 747 mil declarações retidas na malha fina. Lotes de restituição do Imposto de Renda 2021: não recebi, e agora? Essa não é uma situação incomum para milhares de contribuintes, além de poder ter caído na malha fina, se a data de recebimento dos lotes do contribuinte já passou e não recebeu nada até agora, podem ter ocorrido outros contratempos, como: É possível o contribuinte ter digitado o número errado da agência ou da própria conta; Ter feito o cadastro da conta de outra pessoa: nesse caso, o contribuinte não vai receber a restituição, porque só é autorizada a transferência do valor para contas em nome do contribuinte. Nesses casos, e se o contribuinte caiu mesmo na malha fina, e constarem pendências na sua situação, ele poderá preencher uma retificação de Imposto de Renda e enviar documentos que ajudem a demonstrar que a irregularidade não ocorreu de forma intencional. Na aba de pendências, ele deverá ser informado qual é o motivo que levou à retenção de sua restituição. Esse envio é realizado de forma remota, pela página e-Defesa, que é um portal específico para esses requerimentos. É preciso ressaltar que os documentos apresentados precisam estar dentro da validade e serem escaneados de forma adequada para permitir que as informações estejam bem visíveis.. O contribuinte pode também esperar para ser intimado pela Receita Federal para dar suas justificativas. Essa notificação é virtual, e o contribuinte deverá prestar esses esclarecimentos pelo número de telefone indicado ou por e-mail. Quando o contribuinte é notificado é gerado um auto de infração, e ele poderá ter que pagar uma multa. Quanto antes regularizar a situação, melhor será, até para não incorrer em juros que são corrigidos pela Selic. Antes da pandemia era possível também tentar agendar uma visita, mas depois da crise sanitária todo o processo passou a ser remoto. Restituição de imposto de renda em caso de falecimento: o que fazer? Apesar de ser um momento delicado e difícil, caso algum parente tenha falecido no ano em questão, alguém próximo deve ser responsável pelo preenchimento do documento e envio à Receita Federal, constando as rendas e despesas do falecido no ano passado, quando ele ainda estava vivo. Caso haja imposto a pagar, esse pagamento deve ser feito para não haver cobrança de multa. E, se houver imposto a restituir, o responsável pela declaração deverá informar, no momento do preenchimento, uma conta bancária em nome do falecido. Se não existir, será necessário ir até um Banco do Brasil para ter acesso à restituição. Já a declaração de espólio é aquela feita em relação aos bens, direitos e obrigações da pessoa falecida, devendo ser feita a partir do ano seguinte ao falecimento do contribuinte até que tenha a escritura pública de inventário e partilha ou a decisão judicial de partilha, sobrepartilha ou adjudicação dos bens inventariados tenha transitado em julgado (sem a possibilidade de recurso). Quem deve declarar Imposto de Renda? Vamos relembrar que o Imposto de Renda é uma declaração feita para informar os rendimentos recebidos no ano em questão, sejam eles tributáveis ou não tributáveis. Em 2021, a obrigatoriedade de declaração aconteceu nos seguintes casos: Recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70; Teve rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte acima de R$ 40 mil, incluindo o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e seguro-desemprego; Tinha, em 31/12/2020, bens e direitos de mais de R$ 300 mil; Teve lucro ao vender bens sujeitos à incidência do Imposto de Renda; Recebeu auxílio emergencial e teve renda tributável acima de R$ 22.847,76 no ano; Realizou operação na Bolsa de Valores em 2020; Optou pela isenção do IR sobre o ganho de capital (lucro) na venda de imóvel residencial cujo valor foi aplicado na compra de outro imóvel no país, no prazo de até 180 dias da venda (artigo 39 da lei 11.196, de 21 de novembro de 2005); Teve receita bruta com atividade rural de mais de R$ 142.798,50 ou quer compensar as perdas na área; Passou a morar no Brasil e aqui estava em 31/12/2020. Porém, é preciso ficar atento, todos os anos, na obrigatoriedade de declaração de Imposto de Renda, pois as regras podem mudar de acordo com o tempo. Mas fique atento também ao calendário de restituição do Imposto de Renda 2021 para consultar a restituição do Imposto de Renda 2021. Dessa forma, você terá uma ideia de quando deveria ter saído a sua restituição do Imposto de Renda 2021 e o que deve fazer se não recebeu ainda. Leve mais tranquilidade financeira a você e sua família Se você está procurando maneiras de levar mais segurança financeira à sua família, é hora de contratar um Seguro de Vida. Essa é uma modalidade de seguro que visa a segurança do contratante, por meio de assistências e coberturas que são usadas ainda em vida (como doenças graves - DG, invalidez por doença ou acidente - IFPD/IPA, etc.), bem como visa garantir a segurança financeira da família ou entes queridos no caso de um evento inesperado, como o falecimento do titular.* É importante lembrar que a indenização do seguro de vida não entra em inventário, está livre da tributação de imposto de renda, dentre outros fatores que auxiliam os familiares no uso do capital contratado para saldar dívidas, manutenção dos padrões de vida familiar ou fazer o pagamento de mensalidades escolares/universitárias. Entre em contato com um de nossos consultores e solicite uma cotação! *Consulte seu corretor para condições de contratação.

Lotes de restituição do Imposto de Renda 2021: não recebi, e agora?

Essa não é uma situação incomum para milhares de contribuintes, além de poder ter caído na malha fina, se a data de recebimento dos lotes do contribuinte já passou e não recebeu nada até agora, podem ter ocorrido outros contratempos, como:

  • É possível o contribuinte ter digitado o número errado da agência ou da própria conta;
  • Ter feito o cadastro da conta de outra pessoa: nesse caso, o contribuinte não vai receber a restituição, porque só é autorizada a transferência do valor para contas em nome do contribuinte.

Nesses casos, e se o contribuinte caiu mesmo na malha fina, e constarem pendências na sua situação, ele poderá preencher uma retificação de Imposto de Renda e enviar documentos que ajudem a demonstrar que a irregularidade não ocorreu de forma intencional.

Na aba de pendências, ele deverá ser informado qual é o motivo que levou à retenção de sua restituição.

Esse envio é realizado de forma remota, pela página e-Defesa, que é um portal específico para esses requerimentos.

É preciso ressaltar que os documentos apresentados precisam estar dentro da validade e serem escaneados de forma adequada para permitir que as informações estejam bem visíveis..

O contribuinte pode também esperar para ser intimado pela Receita Federal para dar suas justificativas. Essa notificação é virtual, e o contribuinte deverá prestar esses esclarecimentos pelo número de telefone indicado ou por e-mail.

Quando o contribuinte é notificado é gerado um auto de infração, e ele poderá ter que pagar uma multa. Quanto antes regularizar a situação, melhor será, até para não incorrer em juros que são corrigidos pela Selic.

Antes da pandemia era possível também tentar agendar uma visita, mas depois da crise sanitária todo o processo passou a ser remoto.

Restituição de imposto de renda em caso de falecimento: o que fazer?

Apesar de ser um momento delicado e difícil, caso algum parente tenha falecido no ano em questão, alguém próximo deve ser responsável pelo preenchimento do documento e envio à Receita Federal, constando as rendas e despesas do falecido no ano passado, quando ele ainda estava vivo. 

Caso haja imposto a pagar, esse pagamento deve ser feito para não haver cobrança de multa. E, se houver imposto a restituir, o responsável pela declaração deverá informar, no momento do preenchimento, uma conta bancária em nome do falecido. Se não existir, será necessário ir até um Banco do Brasil para ter acesso à restituição.

Já a declaração de espólio é aquela feita em relação aos bens, direitos e obrigações da pessoa falecida, devendo ser feita a partir do ano seguinte ao falecimento do contribuinte até que tenha a escritura pública de inventário e partilha ou a decisão judicial de partilha, sobrepartilha ou adjudicação dos bens inventariados tenha transitado em julgado (sem a possibilidade de recurso).

Quem deve declarar Imposto de Renda?

Vamos relembrar que o Imposto de Renda é uma declaração feita para informar os rendimentos recebidos no ano em questão, sejam eles tributáveis ou não tributáveis. 

Em 2021, a obrigatoriedade de declaração aconteceu nos seguintes casos:

  • Recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70;
  • Teve rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte acima de R$ 40 mil, incluindo o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e seguro-desemprego;
  • Tinha, em 31/12/2020, bens e direitos de mais de R$ 300 mil;
  • Teve lucro ao vender bens sujeitos à incidência do Imposto de Renda;
  • Recebeu auxílio emergencial e teve renda tributável acima de R$ 22.847,76 no ano;
  • Realizou operação na Bolsa de Valores em 2020;
  • Optou pela isenção do IR sobre o ganho de capital (lucro) na venda de imóvel residencial cujo valor foi aplicado na compra de outro imóvel no país, no prazo de até 180 dias da venda (artigo 39 da lei 11.196, de 21 de novembro de 2005);
  • Teve receita bruta com atividade rural de mais de R$ 142.798,50 ou quer compensar as perdas na área;
  • Passou a morar no Brasil e aqui estava em 31/12/2020.

Porém, é preciso ficar atento, todos os anos, na obrigatoriedade de declaração de Imposto de Renda, pois as regras podem mudar de acordo com o tempo.

Mas fique atento também ao calendário de restituição do Imposto de Renda 2021 para consultar a restituição do Imposto de Renda 2021.

Dessa forma, você terá uma ideia de quando deveria ter saído a sua restituição do Imposto de Renda 2021 e o que deve fazer se não recebeu ainda.

Contratar um seguro pode parecer um bicho de 7 cabeças, né?! Sabendo desse desafio nós, da Executiva, preparamos algumas dicas para você que não sabe por onde começar e quais itens você deve levar consideração na contratação de um seguro: Residencial; Auto; Vida; Viagem.

Leve mais tranquilidade financeira a você e sua família

Se você está procurando maneiras de levar mais segurança financeira à sua família, é hora de contratar um Seguro de Vida.

Essa é uma modalidade de seguro que visa a segurança do contratante, por meio de assistências e coberturas que são usadas ainda em vida (como doenças graves – DG, invalidez por doença ou acidente – IFPD/IPA, etc.), bem como visa garantir a segurança financeira da família ou entes queridos no caso de um evento inesperado, como o falecimento do titular.*

É importante lembrar que a indenização do seguro de vida não entra em inventário, está livre da tributação de imposto de renda, dentre outros fatores que auxiliam os familiares no uso do capital contratado para saldar dívidas, manutenção dos padrões de vida familiar ou fazer o pagamento de mensalidades escolares/universitárias.

Entre em contato com um de nossos consultores e solicite uma cotação!

*Consulte seu corretor para condições de contratação.

Leia também: seguro de vida imposto de renda 

Você também pode se interessar por:

Compartilhe:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Posts Relacionados

Veja também

Muitas pessoas sequer pensam em deixar o automóvel sem a cobertura de um seguro, mas nunca pararam para pensar sobre a proteção que um Seguro de Vida traz para quem contrata e, também, para a família. Com uma tabela de Seguro de Vida, você verá que o preço dessa proteção pode ser bem menor do que você pensa e ainda proporcionar vantagens para seus familiares/beneficiários em momentos difíceis. Acompanhe o texto. Tabela seguro de vida: preço pode ser mais barato que um seguro de carro? Fazendo uma rápida pesquisa sobre seguro de vida: tabela de valores, você verá que o valor que se investe mensalmente é muito pequeno perto do benefício que ele trará, já que esse é um produto que gera amparo para as pessoas importantes da sua vida nessas situações angustiantes. No entanto, o pensamento mais comum do consumidor mostrava uma preocupação bem maior em garantir a reposição de um carro roubado do que contratar um seguro de vida que garantisse uma segurança à família no caso de falecimento do(a) provedor(a) dos recursos financeiros da casa. Porém, de acordo com a CNSeg (Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização) esse cenário já está mudando. Segundo dados do boletim de conjuntura do órgão, só em setembro de 2019 houve um incremento de 27,4% na contratação de Seguros de Vida em relação ao mesmo período do ano anterior. O que muitos não sabem é que o preço do seguro de vida pode ter um custo mensal bem mais baixo do que um seguro de automóvel. Além disso, pode garantir uma proteção em casos bastante diferenciados. Vale conversar com um corretor de seguros de confiança e solicitar cotação e/ou a tabela de preços de seguro de vida de diversas seguradoras para comprovar isso. Além da indenização pela morte, também conhecida como capital morte, o produto é bastante amplo, com cobertura para Invalidez Parcial ou Total por Acidente ou Doença, por exemplo. A indenização é paga aos beneficiários indicados pelo contratante/segurado e não entra em partilha de bens. Outros grandes diferenciais é que a indenização do Seguro de Vida também não responde por dívidas e é isenta de tributação de Imposto de Renda. Seguro de vida: tabela de preços E quanto custa um seguro de vida? É certo que o preço do Seguro de Vida varia de contratante para contratante, pois são levadas em consideração características individuais de cada cliente. O valor também vai variar de seguradora para seguradora, do tipo de seguro escolhido, das coberturas selecionadas, e da idade do contratante versus o valor da cobertura escolhida, motivo pelo qual o melhor momento para contratar um seguro de vida é quando se tem uma faixa etária menor, pois é possível adquirir um maior capital morte por um menor valor de prêmio mensal. Outro fator que é importante mencionar é: com o avanço etário, o perfil do proponente fica mais agravado, onerando mais o valor do prêmio mensal. É necessário ter muita atenção pois, em faixas etárias mais avançadas a seguradora pode recusar a contratação do seguro. Disponibilizamos gratuitamente e 100% consultivo, serviço de atendimento para montagem do plano que melhor atende às necessidades de cada pessoa. Assim, fica mais fácil de entender a tabela de seguro de vida e o preço de um seguro de vida individual ou em grupo. Seguro de vida: preço mensal Para conhecimento, existem planos disponíveis a partir de R$18,74 (valores de referência em junho de 2021) com o capital segurado mais básico, o que demonstra um excelente custo-benefício para os contratantes. Seguro de vida empresarial: preço O seguro de vida empresarial cobre um grupo de segurados. Ele é contratado por uma empresa, para o seus colaboradores, dando mais tranquilidade a eles e seus familiares em caso de morte ou invalidez, assim como um seguro de vida individual. O contrato varia de acordo com as necessidades de cada empresa, suas condições financeiras e o risco do ramo em que ela atua. Por isso, a precificação de um seguro de vida empresarial pode sofrer alterações em cada caso. O ideal é entrar em contato com um corretor de seguros de confiança, que entenderá o caso de maneira individual e saberá orientar sobre as cotações e tabela de valores de seguro de vida, no caso de apólices exclusivas. Seguro de vida familiar: preço O seguro de vida familiar oferece coberturas completas, garantindo tranquilidade e segurança em casos de imprevistos, tanto para o contratante quanto para os familiares. Tais coberturas variam de acordo com o contrato e as necessidades do contratante, mas, no geral, incluem*: Cobertura em casos de morte acidental ou natura*l; Cobertura em casos de invalidez permanente total ou parcial, causada por acidente, ou invalidez funcional, desenvolvida por alguma doença*; Cobertura estendida para o cônjuge*; O preço médio do seguro de vida vai depender das coberturas contratadas, porém é possível encontrar um seguro de vida, para garantir a segurança familiar, a partir de R$18,74 ao mês (valores de referência em junho de 2021). *Consulte seu corretor de seguros para condições de contratação. Seguro de vida: indenização não é considerada uma herança A indenização do seguro de vida não é considerada uma herança (motivo pelo qual ela não entra em inventário), bem como está isenta de tributação e declaração de Imposto de Renda. Conforme determinação da SUSEP (Superintendência de Seguros Privados), o prazo para análise do processo de sinistro por falecimento do titular do seguro é de 30 (trinta) dias a partir da entrega de todos os documentos solicitados pela seguradora. No caso de envio de documentos com algum erro ou em caso de solicitação de documentação e/ou informação complementar, o prazo de até 30 dias será suspenso, voltando a correr do zero a partir do envio das informações complementares. Seguro de vida: o que é e como funciona? Caso você ainda não saiba o que é o Seguro de Vida e como ele funciona, vamos te explicar. Sabemos que imprevistos acontecem, por isso nada melhor do que estar protegido diante dessas situações. O Seguro de Vida visa a proteção do contratante, por meio de assistências e coberturas que podem ser usadas ainda em vida – como doenças graves, invalidez por doença ou acidente, entre outros, bem como visa garantir a segurança financeira da família ou entes queridos no caso de um evento inesperado, como o falecimento do titular.* Esse contrato é feito por intermédio de uma corretora de seguros especializada, resguardando os beneficiários ou o titular diante de um evento coberto na apólice, como os descritos acima. Hoje, existe uma gama muito ampla de opções no mercado, podendo o seguro de vida ser individual, coletivo ou até mesmo opções mais específicas, como o seguro de vida mulher. O Seguro de Vida em grupo, por exemplo, pode ser contratado por empresas. Nesse caso,a empresa será a estipulante do contrato e responsável pela representação dos funcionários. Esse tipo de apólice pode ser contributiva (funcionários arcam com parte ou totalidade do valor do seguro) ou não contributária (empresa assume totalmente com os custos do seguro). De qualquer forma, os funcionários podem fazer a adesão ao seguro por meio da apólice contratada pela empresa e contar com toda a segurança das coberturas contratadas. Além disso, seus familiares receberão a indenização estipulada no caso de uma fatalidade. O interessante é conversar com o seu corretor de seguros e entender qual mais se adapta ao seu perfil e a sua realidade. Outro ponto muito positivo, e que merece ser mencionado novamente, é que a indenização do seguro não entra em inventário e está livre da tributação de imposto de renda, auxiliando os familiares no uso do capital contratado para saldar eventuais dívidas ou manter os padrões de vida familiar. *Consulte seu corretor para condições de contratação. Seguro de vida: a visão da Executiva A Executiva Corretora de Seguros está sempre disposta a atender às necessidades de amparo de seus segurados. Inclusive, seguimos as novas diretrizes da SUSEP para Seguro de Vida e Pandemia. Não importa se a cotação é para uma apólice individual ou seguro de vida em grupo, o preço pode sofrer alterações, podendo ser adequado à expectativa/realidade dos clientes. Estamos prontos para responder todas as suas dúvidas, como “Seguro de vida tem carência?” e tabela de reajuste de seguro de vida, em caso de renovação. Para nós, garantir o bem-estar dos nossos segurados para enfrentar qualquer situação é o nosso principal objetivo e grande satisfação.

Quanto custa um Seguro de Vida?

Muitas pessoas sequer pensam em deixar o automóvel sem a cobertura de um seguro, mas nunca pararam para pensar sobre a proteção que um Seguro

O seguro viagem nacional é a melhor solução para quem quer aproveitar uma viagem sozinho, com a família, amigos ou companheiro(a) e estar protegido contra imprevistos. Descansar e conhecer lugares novos é muito gostoso, mas imprevistos podem acontecer a qualquer momento e também podem gerar uma bela dor de cabeça durante as férias, ainda mais estando em um local desconhecido, mesmo sendo dentro do próprio país. Por conta de tudo isso, o seguro viagem nacional é bem importante, mas ainda é pouco conhecido em relação ao seguro de viagem internacional Leia o texto abaixo para entender como esse seguro funciona e quais os benefícios que promove. Afinal, o que é um Seguro Viagem Nacional? O Seguro para Viagem Nacional nada mais é do que um serviço de assistência que possui como principal objetivo cobrir gastos com a saúde que não estavam nos planos de uma pessoa durante uma viagem no Brasil. Imagine, por exemplo, que uma pessoa está curtindo as férias em um estado diferente do seu. Para que isso acontecesse, ela planejou e guardou dinheiro durante meses, sonhando todo dia com a viagem perfeita. Mas, vamos supor que durante um dos dias da viagem ela saiu para comer em um restaurante e acabou tendo uma intoxicação alimentar, necessitando de atendimento médico urgente no hospital mais próximo à sua estadia. Esse hospital pode acabar cobrando um valor elevado pela consulta. O que fazer nesse caso? Como cobrir esse gasto que não estava no planejamento? Bom, caso a pessoa não tenha um Seguro Viagem Nacional, ela provavelmente terá que desembolsar um bom dinheiro o que causará impacto no seu planejamento de gastos para aquele passeio. Porém, com a contratação do Seguro Viagem, é possível acionar a seguradora para receber todo o atendimento médico que for necessário, dentro dos eventos cobertos em apólice, sem precisar pagar a mais por isso! Leia mais: Seguro de Vida para Estagiário Seguro de vida preços Seguro viagem nacional: benefícios e coberturas Para quem está buscando entender como funciona seguro viagem nacional e acredita que ele só oferece benefícios médicos, saiba que isso não é verdade. Confira abaixo todos os benefícios que um seguro de viagem nacional pode oferecer: 1- Cobertura médica e odontológica Como dito anteriormente, essa cobertura consiste na indenização de despesas do segurado com tratamento médico e, inclusive, odontológico, seja por acidente pessoal ou enfermidade súbita, durante o seu período de viagem.* 2- Cobertura para bagagem extraviada ou cancelamento de viagem por questão de saúde Essa cobertura pode aparecer como opcional, portanto, é muito importante solicitar por ela quando se estiver fazendo cotação do Seguro Viagem Nacional. Ambos consistem em indenização e, no caso da bagagem, é necessário a comprovação do extravio e o dano do conteúdo da mala para ter esse direito.* Já no cancelamento de viagem por motivos de saúde, é possível receber indenizações das despesas não reembolsáveis, como por exemplo, a aquisição de pacotes de viagem, transporte e até hospedagem.* 3- Traslado de corpo Muitas pessoas não sabem, mas o traslado de corpo é outra vantagem de um Seguro Viagem Nacional. Ele consiste na indenização das despesas com liberação e transporte de um corpo até o local de sepultamento durante uma viagem.* 4- Regresso sanitário O Regresso Sanitário também faz parte de um Plano de Seguro Viagem Nacional, consistindo na indenização das despesas com traslado de regresso do segurado ao seu local de origem, sendo possível ser aplicada quando o mesmo não possui condições de retornar ao seu domicílio como passageiro regular, como por exemplo, em casos de acidente pessoal ou enfermidades.* Se você quer escolher o melhor Seguro Viagem Nacional, saiba que é importante ficar atento e ler cada uma das cláusulas do contrato, tendo em mente cada uma das coberturas que você julga importante para evitar qualquer problema durante o seu passeio. Exija o melhor para você! *Confirme com seu corretor de seguros sobre condições e disponibilidade de contratação. Quando contratar um Seguro Viagem Nacional? Como dito anteriormente, a contratação de um Seguro de Viagem Nacional é recomendada para qualquer viagem para fora do seu estado de origem. Ele deve ser contratado com antecedência, para que o viajante tenha tempo de pesquisar com calma e conversar bastante com os agentes da corretora de seguros, conferindo cada um dos itens do contrato. Reforçamos a importância de contratar com antecedência pois não é permitida a contratação quando a partida para a viagem já tiver ocorrido. Leia também: Seguro saúde viagem Quanto custa um Seguro Viagem Nacional? Quando se fala na contratação de um seguro viagem nacional, o preço é um ponto importante, afinal, é um investimento a mais na preparação e planejamento da viagem. A boa notícia é que um Seguro Viagem Nacional costuma ter preço final barato, variando de acordo com a duração da sua viagem, número de viajantes na apólice, etc. O que queremos dizer, é que o investimento de um seguro viagem é sempre muito barato comparado a todos os benefícios que eles podem te dar. A média de custo é de R$ 5* por dia para uma cobertura mínima de R$10 mil. O investimento é muito pequeno e vale muito a pena!* *Consulte os valores e condições para cada tipo de seguro e coberturas com seu corretor de seguros Como saber qual o melhor seguro viagem nacional? Planejar uma viagem é ótimo. A pessoa passa horas pensando nos passeios que irá fazer, os pontos turísticos que irá visitar, em quais restaurantes irá comer, entre outras coisas. O lazer definitivamente é a parte mais convidativa da viagem, mas é preciso deixá-lo de lado um pouco e pensar, também, em questões mais sérias que deixarão a viagem mais segura e tranquila. A contratação de um seguro viagem nacional é uma dessas questões. Confira abaixo 4 dicas para saber como contratar o melhor Seguro Viagem Nacional. Pesquise com antecedência A melhor forma de encontrar uma opção de Seguro Viagem Nacional é pesquisando com bastante antecedência para sanar todas as dúvidas, conferir vários orçamentos e pensar com calma antes de tomar uma decisão. Entenda as coberturas básicas e adicionais Quando montada uma cotação de seguro viagem, as seguradoras disponibilizam pacotes prontos para contratação, já com coberturas e capitais definidos. Entender e saber quais são as coberturas básicas e adicionais oferecidas por cada seguradora é importante para te auxiliar em escolher dentre os pacotes disponibilizados. Dependendo do destino da viagem, ou duração, a sua escolha de pacote pode mudar. Peça vários orçamentos Mesmo que a pessoa tenha a recomendação de uma seguradora, é importante que ela peça cotações em diferentes locais para comparar preço, benefícios, cobertura, entre outros. Dessa forma, ela terá a certeza de que está contratando o melhor para si e sua viagem. Pesquise sobre o destino da viagem Apesar de esse ser um preparo mais exigido para viagens internacionais, pode acontecer de diferentes estados oferecerem condições diferentes de turismo. Por isso, é bom pesquisar sobre o seu destino e verificar se há alguma medida que você tenha que tomar. Um bom exemplo para o mencionado acima é verificar se o destino tem um bom suporte de saúde pública ou se você tem plano de saúde de abrangência nacional. Se a resposta for “não” para ambas essas situações, a contratação de um seguro viagem com cobertura para gastos hospitalares e/ou emergências médicas é o que te proporcionará segurança no caso de algum imprevisto. Cotação Seguro Viagem Nacional: faça agora mesmo! Você conseguiu perceber a importância de se contratar um Seguro Viagem Nacional? Que tal fazer uma cotação agora mesmo e começar a se preparar para viajar com bastante tranquilidade? Escolha agora mesmo as suas coberturas favoritas, entre em contato conosco e peça uma cotação!

Seguro viagem nacional vale a pena

O seguro viagem nacional é a melhor solução para quem quer aproveitar uma viagem sozinho, com a família, amigos ou companheiro(a) e estar protegido contra

Quem já pesquisou sobre seguros, seja de carros, residencial, de vida ou várias outras modalidades, já ouviu falar sobre a franquia de seguro. Entender mais sobre esse termo é muito importante para quem procura um seguro, portanto, saiba neste texto o que significa franquia de seguro e o que faz na apólice. O que é franquia de seguro? A franquia de seguro se refere a um valor em dinheiro, pré-estabelecido no ato da contratação, que o segurado precisa desembolsar quando ocorrem alguns sinistros. Esse valor deve ser pago para a oficina que realizará o serviço de reparo, portanto, a seguradora não receberá esse dinheiro. Por isso, se durante a contratação de um seguro surgir dúvidas sobre franquia do seguro, quem paga, já saiba que esse é um custo arcado pelo contratante do seguro. A franquia existe em várias modalidades de seguros. Em casos como, por exemplo, o seguro auto, ela só é cobrada em casos em que o segurado foi o responsável pelo acidente, colisão ou qualquer que tenha sido o sinistro. A franquia também pode aparecer em algumas opções de seguros como um período de tempo, a partir da data em que ocorreu um sinistro coberto em apólice, onde o segurado não terá direito a receber indenização por aquele evento coberto. Por que existe a franquia? Muitas pessoas podem ficar em dúvida sobre o porquê do segurado ter que pagar a franquia, considerando que já paga o seguro, mas essa medida foi criada para proteger as seguradoras de pessoas má intencionadas que possam provocar danos de forma intencional para receberem a indenização do sinistro. Dessa forma, além das seguradoras se resguardarem, o segurado fica consciente da importância em zelar pelo bem segurado. Leia mais: Cotação seguro auto Como comprar um carro Franquia de seguro: como funciona? Como funciona franquia de seguro, com certeza, é uma das grandes dúvidas de quem está procurando por seguros para contratar. É assim: A franquia de seguro auto só é cobrada em casos nos quais os danos são parciais e os reparos não ultrapassam 75% do valor total do veículo segurado. Em caso de incêndio, roubo, furto, queda de raios e enchentes a franquia de seguro não é cobrada. Sendo assim, o melhor é que a seguradora seja acionada em casos em que o reparo é maior do que a franquia de seguros. Por exemplo, se a franquia for de R$ 2 mil e o conserto do carro ficar em R$ 8 mil, vale a pena acionar, já que a pessoa pagaria R$ 2 mil e a seguradora arcaria com os R$ 6 mil restantes. Nem todas as apólices de seguros possuem franquia. A franquia de seguro de carro, por exemplo, é bastante comum. Diferentes tipos de seguros poderão apresentar a franquia de formas diferentes, por isso é preciso consultar um corretor para verificar e tirar suas dúvidas. O que é seguro com franquia reduzida? Contratar seguros exige entendimento dos termos apresentados no “segurês”. Conhecer bem os termos vai te ajudar não somente a entender melhor os materiais sobre seguros que são encontrados na internet, mas também os contratos e apólices de seguro. Franquia reduzida é um desses termos que surgem neste universo das apólices. Para quem já está acostumado e sabe como funciona a franquia de seguro, parece fácil, mas é preciso que as pessoas entendam bem o seu significado na hora da contratação. Existem três tipos de franquia que podem ser escolhidas para uma apólice de seguro, a reduzida é uma delas. Nessa modalidade, o valor que o segurado irá precisar desembolsar ao acionar o seguro pode ficar até 50% menor, dependendo das condições que a seguradora oferece. Caso escolha por essa opção, o valor do prêmio (termo utilizado para se referir à mensalidade do seguro) será maior. É como uma compensação, a pessoa paga mais pelo seguro, mas em caso de um acidente, arca com um valor menor para a franquia da cobertura. A franquia majorada é uma outra modalidade de franquia e, nesse caso, ocorre o oposto da franquia reduzida. O valor do prêmio é menor, mas o valor pago na franquia, caso tenha que acionar algum sinistro, é maior. Por último, há a franquia normal, que é a padrão e a mais comum entre as cotações. Isso porque nesse tipo, o valor do prêmio e da franquia são os automaticamente definidos pelo resultado da cotação. Confie na Executiva Seguros A Executiva Corretora de Seguros trabalha com total transparência, buscando fornecer tranquilidade para os seus clientes. Está no ramo desde 1982, portanto possui vasta experiência na comercialização de seguros e um amplo leque de opções. Entre em contato com um dos corretores e tire suas dúvidas sobre a franquia de seguro cobrada em suas apólices.

Franquia de seguro: como funciona?

Quem já pesquisou sobre seguros, seja de carros, residencial, de vida ou várias outras modalidades, já ouviu falar sobre a franquia de seguro.  Entender mais